domingo, 24 de abril de 2016

Resenha #75 - A Garota no Trem

 
Autora: Paula Hawkins
Título Original: The Girl on the Train
Páginas: 372
Gênero: Thriller/ Mistério
Editora: Record
Ano: 2015

The Girl on the Train Todas as manhãs Rachel pega o trem das 8h04 de Ashbury para Londres. O arrastar trepidante pelos trilhos faz parte de sua rotina. O percurso, que ela conhece de cor, é um hipnotizante passeio de galpões, caixas d’água, pontes e aconchegantes casas. Em determinado trecho, o trem para no sinal vermelho. E é de lá que Rachel observa diariamente a casa de número 15. Obcecada com seus belos habitantes – a quem chama de Jess e Jason –, Rachel é capaz de descrever o que imagina ser a vida perfeita do jovem casal. Até testemunhar uma cena chocante, segundos antes de o trem dar um solavanco e seguir viagem. Poucos dias depois, ela descobre que Jess – na verdade Megan – está desaparecida.
Sem conseguir se manter alheia à situação, ela vai à polícia e conta o que viu. E acaba não só participando diretamente do desenrolar dos acontecimentos, mas também da vida de todos os envolvidos.
Uma narrativa extremamente inteligente e repleta de reviravoltas, A garota no trem é um thriller digno de Hitchcock a ser compulsivamente devorado.


                Em "A garota no trem", temos três pontos de vista diferentes, ou seja, o livro é narrado por três diferentes personagens, o que é muito bom, pois temos mais opiniões sobre alguma personagem. Dentre essas três personagens, a Rachel é a principal.
                A Rachel Watson é uma mulher de 30 e poucos anos, problemática, alcoólatra, que quando começa o livro já está divorciada, seu ex-marido, Tom, a traia e engravidou a amante, sendo que Rachel é infértil, sofre bastante com isso e começa a beber muuuito por causa disso. E o cara, além de trocá-la pela amante, ele a expulsa de casa. Enfim, a nova vida de Rachel não é muito agradável. Agora, ela mora de favor com uma amiga e está desempregada. Porém, Rachel é uma grande mentirosa, todo dia, ela fala para sua amiga que está indo trabalhar em Londres, quando na verdade está andando sem rumo e bebendo mais algumas.
                Todo dia, Rachel pega o mesmo trêm para Londres e em todas essas viagens, ela fica olhando pela janela, vendo a vida que segue. Esse trêm passa perto da antiga casa dela e ela acaba vendo um casal na varanda de uma das casas e admirá-los, ficar observando acaba virando uma rotina, tanto é que ela inventa nome para eles (Jess e Jason) e toda uma historinha para a vida deles. Até que um dia, voltando de Londres, ela passa por essa casa e vê uma coisa muito estranha, muito bizarra acontecendo.
                Alguns dias se passam e nós descobrimos que Jess na verdade é Megan, que Jason se chama Scott e Megan desapareceu. Ao saber disso, Rachel vai até a delegacia e fala as coisas que ela viu. Para desgraçar ainda mais, como Tom mora na vizinhança, ela está sempre por lá chorando pela vida, correndo atrás dele.
                Em meio a tudo isso, Rachel teve uma crise alcoólica e acabou se esquecendo de tudo, ela sabe que ela precisa se lembrar de algo que é crucial, mas nunca consegue lembra o que é.
                Rachel é aquela personagem que te dá um pouco de raiva (talvez muita), mas que na verdade é reflexo de muitos de nós. Ela imagina que a vida de todos ao seu redor é perfeita, inclusive a do casal, mas ao longo do livro ela vai percebendo que isso não é verdade.
                Como eu disse antes, o livro tem três narradoras. A Rachel, que já contei praticamente sua história de vida, a Anna, atual mulher de Tom, o capítulo da Megan, a mulher que desapareceu. O legal disso tudo é que são personagens bem distintas, personagens bem diferentes. Megan vai contando sua história até finalmente chegar ao motivo de seu desaparecimento, o que é muito bom para você ir montando o quebra-cabeça por si mesmo, criando várias teorias e tal.
                Mais um detalhe: lembra que eu falei que a Rachel é uma grande mentirosa? Pois é! Não se pode descobrir quando ela está mentindo, quando ela está falando a verdade, e isso acabou me deixando com vários pontos de interrogação durante todo livro. Eu não sabia se podia ou não confiar nela ou no julgamento dela em outras personagens.
                Uma coisa muito importante que não falei para vocês é que " A Garota no Trem" vai ganhar adaptação cinematográfica! Na verdade já ganhou, mas só estréia dia 27 de Setembro. Emily Blunt interpretará Rachel Watson, Rebecca Ferguson interpretará Anna, Harley Bennett fica com o papel de Megan e Luke Evans como Scott.
                Vou deixar aqui o primeiro trailer legendado só para deixar vocês com muita vontade de ler!
                Por hoje é só, pessoal!

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...